Câmara de Vereadores e Prefeitura trabalham para resolver problema com a coleta de lixo em Ponta Porã

04/04/2017

FacebookTwitterGoogle Bookmarks

foto

Diante das reclamações da população referente a não coleta de lixo de maneira regular, os vereadores da Câmara de Ponta Porã debateram mais uma vez o tema durante a sessão ordinária desta terça-feira, 04 de abril.

O presidente da Câmara de Vereadores, Otaviano Cardoso, apontou que a empresa terceirizada, que é responsável pela realização deste serviço, tem deixado a população a mercê.

Em reunião com o prefeito, Hélio Peluffo, foi dito que a prefeitura já tem tomado às devidas providencias para sanar este problema. “O prefeito nos comunicou que nesta semana a prefeitura comprou cinco caminhões zero quilômetro. De acordo com eles, quatro veículos serão entregues até esta sexta-feira, e o outro até a próxima segunda-feira, 10 de abril. Enquanto isso, a prefeitura realizará o serviço com as caçambas”, disse Cardoso.

Com a compra efetuada no valor de R$ 1.580.000,00, a prefeitura passará a ser responsável pelo serviço de coleta de lixo, assim rescindindo o contrato com a empresa terceirizada que prestava este serviço.

Outro fator positivo apontado com a compra dos veículos, é que dessa maneira, o Executivo poderá diminuir o valor cobrado pela taxa de coleta de lixo, alvo tão criticado pela população. “Acreditamos que no máximo em 10 dias, após o recebimento dos caminhões, a situação da coleta de lixo já estará resolvida pela atual administração com ajuda da Câmara Vereadores. Nosso próximo passo é trabalhar para reduzir a taxa de coleta. Estamos trabalhando e fazendo nossa parte em prol da população pontaporanense”, afirmou o presidente da Câmara.

Projetos de Lei

            Durante a sessão, os vereadores aprovaram o Projeto de Lei nº009/2017, de autoria do Poder Executivo, que autoriza o Poder Executivo a firma convênio de cooperação técnica e financeira com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), e dá outras providencias.

            De acordo com a Mesa Diretora, formada pelo presidente, Otaviano Cardoso, 1º vice-presidente, Jelson Berbané, 2° vice-presidente, Edevaldo Mattoso Barbosa, o 1° secretário, Candinho Gabínio e a 2ª secretária, Neli Abdulahad, este projeto terá a vigência deste a data de assinatura até o dia 31 de dezembro de 2022 e tem os objetivos mútuos de organização da cadeia produtiva na agricultura familiar e de artesanato no município de Ponta Porã, conforme o plano de trabalho.

            Para desenvolver estes projetos, a universidade utilizará o corpo docente e estudantes de graduação e pós graduação e o município fica autorizado a conceder  auxilio financeiro para cobertura de despesas de execução dos trabalhos até o final da vigência em parcelas iguais e trimestrais. A entidade deverá prestar contas ao município a respeito das aplicações dos recursos recebidos.

            Segundo os parlamentares, este projeto é um meio de haver mais integração entre universidade e comunidade, pois a entidade dá o suporte à comunidade e o aluno aplica o que aprendeu, garantido experiência.

            O Projeto de Lei nº 17/2017, de autoria do Poder Legislativo, também foi aprovado durante a sessão. Segundo o autor, o vereador Marcelino Nunes de Oliveira, este projeto modifica a denominação da Rua 12, no Bairro Flamboyant Residencial Park, para Rua Dr. Waldir Siqueira Pinto. “Na década de 80, o paulista Dr. Waldir chegou ao nosso estado, ocupando o cargo de delegado, ele trabalhou em vários municípios, inclusive aqui em Ponta Porã, onde foi delegado regional. Durante todos os anos que esteve estudando, se capacitando e trabalhando, Dr. Waldir dedicou-se a segurança pública e mantendo baixo o índice de criminalidade. Desta maneira, é justa esta homenagem a quem se dedicou tanto ao nosso estado e município”, disse.

            Para o presidente da Casa de Leis, Otaviano Cardoso, estes projetos contribuem de maneira positiva para a comunidade, pois fortalece a integração da comunidade com a universidade e também homenageia quem se dedica e coopera para um município com mais qualidade de vida.

Julieta Romeiro

Lécio Aguilera